Blog
Blog > Como saber se um consórcio é confiável

Como saber se um consórcio é confiável

Como saber se um consórcio é confiável

Confira as dicas do Consórcio Jockey para escolher uma administradora confiável e investir o seu dinheiro com segurança.

Para ter sucesso nesse tipo de investimento, é muito importante escolher um consórcio confiável, cuja administradora seja regulamentada pelo Banco Central do Brasil (BCB). Essa avaliação deve ser feita minuciosamente, afinal é a ela que o consorciado deve recorrer sempre que precisar.

 

A administradora de consórcio, como o Consórcio Jockey, é responsável por organizar os grupos e as assembleias, além de distribuir as cartas de crédito. Como essa parceria entre consorciado e administradora pode durar anos, é essencial que ambas as partes estejam seguras do negócio, que representa a realização de um sonho.

 

Portanto, antes de tornar realidade aquilo que sempre desejou, é recomendado conhecer melhor a empresa de consórcio e também escolher a carta de crédito mais adequada para o seu perfil.

 

Para tomar essa decisão, nada melhor do que realizar uma pesquisa para evitar os muitos golpes que andam acontecendo atualmente, como o caso da carta de crédito contemplada. E foi pensando nisso que o Consórcio Jockey separou algumas dicas para você descobrir se a administradora de consórcio que deseja fechar negócio é confiável.

 

 

 

 

 

 

 

 

Dicas para saber se o consórcio é confiável

Confira abaixo as cinco dicas que o Consórcio Jockey elaborou para os interessados em participar5 de um consórcio.

 

 

Pesquise sobre a administradora de consórcio para saber se é confiável

O primeiro passo na hora de fazer essa pesquisa é saber se a empresa é autorizada pelo BCB. Para descobrir isso é muito simples, basta acessar o site do órgão fiscalizador de todos os consórcios do país e, na seção “perfil cidadão”, clicar no tópico “bancos e outras entidades supervisionadas” e depois em “administradoras de consórcio”. Nesta página haverá um link com a lista completa de empresas por segmento.

 

Caso a instituição que esteja procurando não estiver na lista, então fique esperto, pois ela não tem autorização para atuar no setor. Agora se a administradora de consórcio estiver na listagem, é importante se atentar para algumas informações importantes como as taxas de administração, o índice de inadimplência e as queixas. Isso pode ser feito através do próprio site do Banco Central, que disponibiliza um ranking de reclamações ou então entrando em contato com o Procon da região.

 

Vale ressaltar que o Consórcio Jockey não faz parte do ranking de reclamações do Banco Central contra administradoras de consórcio. De acordo com o último levantamento, referente ao primeiro semestre de 2018, foram registradas 2.923 queixas, sendo a principal delas, com 555 objeções, a respeito de irregularidades relacionadas à liberação do crédito.

 

 

Procure referências de consorciados

Uma outra forma de saber se a empresa de consórcio é confiável é conversando com outras pessoas que já participaram de um consórcio com a administradora. Somente quem já fez parte de um grupo pode dizer os prós e contras, além de compartilhar como é o atendimento aos consorciados.

 

Lembre-se que: uma administradora de consórcio confiável é aquela que trabalha de forma acessível e transparente, buscando sempre a qualidade no atendimento e a satisfação dos seus clientes.

 

 

Faça uma visita para as administradoras que mais lhe agradam

Depois de fazer uma pesquisa na internet para saber a reputação das empresas e conversar com os participantes de consórcio, o interessado pode realizar uma visita em cada uma das administradoras para conhecer os corretores e tirar todas as dúvidas sobre os seus objetivos de compra e descobrir se a empresa consegue te ajudar a transformá-los em realidade.

 

Uma dica aqui é perguntar sobre todas as condições do consórcio, para saber como são as parcelas e os sorteios, como a carta de crédito é liberada e também quais são os trâmites burocráticos que deve seguir após a contemplação.

 

 

 

Leia o contrato com muita atenção

É fundamental que, antes de assinar o contrato de adesão ao consórcio, o participante leia todo o conteúdo com muita atenção. Nele, deve constar a taxa de administração, bem como o número total de parcelas e as regras para a contemplação, seja por sorteio ou lance.

 

Caso haja dúvida em relação a algum termo do contrato, o interessado deve procurar saná-la junto à administradora de consórcio.

Tome cuidado com a carta de crédito contemplada

Algumas administradoras de consórcio oferecem a venda da carta de crédito contemplada, porém, apesar de ser uma manobra autorizada pelo Banco Central, o Consórcio Jockey optou por não realizar esse tipo de serviço, a fim de evitar golpes e fraudes.

 

Existem inúmeras denúncias sobre a venda enganosa da carta de crédito contemplada. O que acontece é que muitas vezes os sorteados através de lances preferem passar a carta de crédito para outra pessoa para receberem o valor em dinheiro. Mas é aí que está o perigo!

 

Alguns fraudadores entram em contato com as pessoas que desejam participar do consórcio, oferecendo a oportunidade de realizar o sonho sem precisar aguardar o sorteio. Então, os interessados, mesmo sem possuírem a cota do consórcio, realizam o depósito de uma comissão para os golpistas, que desaparecem com o dinheiro.

 

O Consórcio Jockey orienta as pessoas a não realizar essa prática, mas se houver interesse em fechar negócio com a carta de crédito contemplada, é preciso redobrar os cuidados, entrando em contato com a administradora que deve autorizar toda a operação. Isso pode, inclusive, incluir custos adicionais de transferência.

 

Uma vez que estiver com o contrato em mãos, o futuro consorciado deve conferir as parcelas que faltam para pagar o consórcio e o valor da taxa de transferência, bem como o responsável por essa cobrança.

 

É por todos esses motivos citados acima que é muito importante escolher bem a administradora de consórcio para fazer parte. Dê preferência para as empresas que tenham tradição e ofereçam confiança.

 

 

Quais as principais reclamações contra administradoras de consórcio

 

Quais as principais reclamações contra administradoras de consórcio

 

 

O Banco Central do Brasil divulga todo semestre uma lista das administradoras de consórcio que mais receberam reclamações nos seis meses anteriores. Qualquer cidadão pode registrar uma queixa sobre os serviços oferecidos por essas empresas. Isso ajuda o BCB no processo de regulamentação e fiscalização desse sistema.

 

Entre as inúmeras reclamações, podemos citar as mais frequentes. São elas:

 

  1. Descumprimento de obrigações previstas em contratos;
  2. Irregularidades relacionadas à liberação do crédito;
  3. Outras irregularidades;
  4. Descumprimento de cláusulas referentes à devolução de valores;
  5. Insatisfação com a resposta fornecida pela administradora de consórcio relativa à demanda registrada contra ela;
  6. Irregularidades relacionadas às condições para contemplação por lance ou sorteio;
  7. Descumprimento de prazo de resposta a demanda;
  8. Não fornecimento, remessa ou divulgação de documentos obrigatórios.

 

Para que uma administradora de consórcio seja regulamentada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil, ela precisa seguir o estatuto com normas e procedimentos contundentes às leis do consumidor e prestar contas mensais e trimestrais de todos os processos e movimentações financeiras e contábeis.

 

Uma vez que a administradora de consórcio não cumpre com algumas das regras presente no regulamento, o consorciado pode registrar uma queixa junto ao BCB, via Reclame Aqui ou até mesmo no Procon. Dependendo do número de queixas, a empresa pode entrar no ranking de reclamações.

 

O Banco Central calcula o índice através do número de reclamações multiplicado por 1.000.000 e dividido pelo número de clientes da administradora de consórcio.

 

Por isso é tão  importante que o interessado procure sempre uma administradora autorizada e regulamentada pelo BCB para garantir a segurança do bem ou serviço que deseja adquirir. Caso contrário, ele poderá cair em um golpe.

 

 

 

Como funciona a carta de crédito de um consórcio

 

Em um consórcio uma coisa é certa! Todos os participantes serão contemplados com uma carta de crédito em algum momento. Mas afinal, como ela funciona?

 

Como funciona a carta de crédito de um consórcio

 

 

A carta de crédito nada mais é do que um documento que é repassado ao consorciado quando ele é contemplado. Ela deve conter o valor que determinado consórcio oferece para a compra do bem ou contratação do serviço. No caso, se uma pessoa faz um consórcio no valor de R$ 50 mil, ela terá uma carta de crédito nesse mesmo valor para utilizar conforme estabelecido em contrato.

 

Podemos citar entre algumas das principais vantagens da carta de crédito:

 

  • É segura, pois só pode ser usada por seus titulares;
  • Mantém o poder de compra, uma vez que é reajustada pelos índices definidos em contrato ou pelas tabelas dos fabricantes;
  • Pode ser utilizada para a aquisição de qualquer outro bem, desde que esteja dentro da categoria contratada.

 

A contemplação acontece através de sorteios, porém ela também pode ocorrer por meio de lances e, o consorciado que possuir o lance vencedor (de acordo com as regras do contrato) receberá a carta de crédito. A mesma poderá ser usada dentro da mesma categoria do objeto do consórcio.

 

No caso de um imóvel, pode ser um terreno, uma casa ou um apartamento novo, usado ou na planta. Agora em um consórcio de automóveis, deve utilizar a carta de crédito em negócios que envolvam veículos.

 

Ainda é possível quitar financiamentos ou receber o valor em dinheiro após 180 dias da contemplação, desde que o consorciado quite suas obrigações com o grupo.

 

 

Quem pode participar de um consórcio?

 

O consórcio tem sido uma solução para milhares de pessoas que sonham em adquirir um bem material (casa, carro ou caminhão), porém não têm dinheiro para dar uma entrada.

 

Quem pode participar de um consórcio?

 

Mas será que todo mundo pode participar de um consórcio? Não existem regras? É sobre isso que vamos falar a seguir.

 

Existem, sim, algumas regras para quem deseja fazer parte de um grupo de consórcio, até mesmo para garantir a segurança de todos os participantes, comprovando a responsabilidade e a capacidade de cumprir com as obrigações de cada um.

 

Portanto, para entrar em um consórcio é preciso:

 

  • Ter mais de 18 anos: somente as pessoas maiores de idade podem firmar um contrato, por isso esse pré requisito. Até mesmo os idosos podem participar de um consórcio e realizar seu sonho sem precisar pagar altos juros dos financiamentos.
  • Ter nome limpo: o participante até pode entrar no consórcio com nome sujo, mas dependendo da política de cada administradora, no momento de oferecer a carta de crédito, ela fará a pesquisa de inadimplência, sendo necessário que a dívida já esteja paga.

 

Por que escolher Consórcio Jockey

 

O Consórcio Jockey possui anos de tradição e atua no segmento de consórcio em todo território nacional. Comercializamos cotas de imóveis, pesados e veículos e contamos com uma equipe de profissionais altamente treinados e capacitados para atender nossos clientes com excelência.

 

Nesses 55 anos de atividades no cooperativismo, sempre atuamos com parceria e compromisso. Nosso objetivo é garantir segurança e satisfação aos consorciados, prestando serviços de qualidade.

 

Entre em contato com o Consórcio Jockey agora mesmo para saber qual o melhor consórcio para você http://consorciojockey.com.br